A CULPA É DA ESTRELA

  • Postato por maurilio em Segunda 05 12-2016 10:11
A CULPA É DA ESTRELA

“A Culpa é das Estrelas”, livro escrito pelo escritor americano John Green e publicado em 2012 é um best seller mundial e foi até adaptado com sucesso para o cinema.
Se o autor americano conhecesse o Brasil ou viesse passar uma temporada cá talvez mudasse o título de seu romance ou escreveria um outro, também fadado a vender milhões de exemplares.
O título poderia muito bem ser “A Culpa é do PT” e faria um relato histórico do Brasil desde a chegada de Pedro Álvares Cabral até os dias atuais.
O PT ainda não existia na época do descobrimento, nem no Brasil Colônia, no Império, quando instalada a República Velha ou quando veio a Nova República.
Só iria surgir nos anos 80 do Século XX, quando a ditadura militar já estava respirando através de aparelhos.
Mas o germe do Partido fundado por sindicalistas e intelectuais já devia estar lá, desde o início da história, quando tiveram aquela ideia de criar as capitanias hereditárias ou quando Dom João veio morar uns anos na colônia,  com mais medo de Napoleão que o presidente Temer tem de vaias.
John Green, com seu talento de escritor voltado para o público adolescente (mas conquistando também adultos), misturaria ficção e realidade, num romance-tese que provaria ser culpa do PT as loucuras de Dom João, as porra louquices de Carlota Joaquina e os arroubos de Dom Pedro, aquele que conseguiu a independência no grito e depois teve uma dor de barriga daquelas, tendo de se virar no mato.
Os petralhas já estavam presentes na vida nacional desde Floriano Peixoto e Deodoro da Fonseca, aporrinharam a vida de Getúlio Vargas, fizeram Jânio Quadros renunciar e têm culpa na deposição de Jango Goulart.
Depois, quando veio a ditabranda dos esquerdistas convertidos ao fascismo, os pré-petistas fizeram a luta armada que irritou deveras os generais.
A esquerda petralha, então, tem culpa na edição do AI-5, que tornou a ditabranda um pouquinho mais severa, com alguns casos de tortura e assassinatos praticados em legítima defesa ou por mero engano.
O embrião do PT (que não foi abortado por falta de uma consulta ao STF) na cabeça de Antônio Conselheiro construir o seu arraial e defender a volta da monarquia.
Os petistas também têm culpa pela aventura da coluna comandada por Luiz Carlos Prestes e obrigaram Lampião a entrar no cangaço e se tornar um bandido frio e sanguinário.
São tão perigosos, esses aloprados, que ardilosamente convenceram o Padre Cícero a ter um encontro com o Rei do Cangaço.
Petralhas desgraçados entupiram as nossas ruas de carros, aumentaram a violência em todas as cidades e ensinaram Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, a roubar.
Quem sabe o Eduardo Cunha, o Renan Calheiros, Fernando Collor e Michel Temer não seriam hoje uns verdadeiros anjos ou melhor santos,  se não tivessem em algum momento de suas vidas se aproximado do PT?
A quebradeira das fábricas, a inflação, a falência da saúde pública,  a falta de emprego, a burrice galopante, os estádios super faturados, os 7 x 1 que o Brasil levou da Alemanha, o câncer do menino no livro de Green ou do rapaz da novela da Globo, em tudo tem a mão de um petralha.
O Brasil precisa de um escritor americano do porte de Johan Green, de um herói como o Batman ou melhor ainda que seja de aço, caso do Super Man.
Joaquim Barbosa esteve próximo de ser o nosso Batman, mas o vírus petralha entrou em seu corpo e ele agora está irreconhecível: não dá para acreditar que o ex-presidente do Supremo está dizendo por aí que o golpe foi um golpe. Só porque ele foi ministro do STF não quer dizer que entende de Lei ou de Política.
“A Culpa é das Estrelas”, ou, corrigindo, da estrela, do PT. Por isso o povo está de volta às ruas, dizendo (afinal a Globo também diz) que a luta é contra a corrupção, quando na verdade desejam ver Sérgio Moro, o nosso Super Man, na presidência da República.
Com plenos poderes, sem precisar respeitar a Constituição nem caralho de asa nenhum.
Precisamos de deuses, salvadores da pátria, heróis, juízes e promotores fortes que tenham aquilo roxo e estejam acima do bem e do mal. Não importa que abusem da autoridade, que humilhem os fracos, furem o teto salarial do país ou aqui e ali desrespeitem a Constituição.
A eles todo o Poder e o Legislativo e o Executivo que se fodam.
Abaixo a democracia! Prendam logo o Lula e seus defensores, mesmo que não consigam as provas.
Tragam o Moro, o Bolsonaro, a família Marinho, o Aécio e o Serra. 
Vamos fazer daqui um país aristocrático e exportar os pobres e os petralhas para Cuba. Lá eles vão trabalhar no Porto de Mariel ou fazer sua ladainha no túmulo de Fidel Castro.
A partir de agora basta o circo, a novela das seis, das sete e das nove. 
Pra que pão,  se a culpa de tudo é mesmo da estrela?
“Brasil mostra a tua cara quero ver quem paga
Pra gente ficar assim.
Brasil, qual é teu negócio
O nome do teu sócio

Confia em mim”.

 

Salve o poeta Cazuza! Por ter cantado tão bem o país em sua época e por permanecer surpreendentemente atual nos versos que compôs nos anos 80.

Notícias Recomendadas

Faça um comentário

Publicidade

Lista de galerias

Publicidade

Mais tocadas

  • 1 Luan Santana

    Acordando o Prédio

  • 2 Wesley Safadão Part. Marília Mendonça

    Ninguém é de ferro

Publicidade

Publicidade