A professora Edilene Soares também é homenageada na III Bienal Internacional do Agreste

  • Postato por maurilio em Quarta 17 05-2017 08:38
Professora da Rede Municipal de Ensino de Garanhuns é uma das homenageadas da III Bienal Internacional do Livro

Professora da Rede Municipal de Ensino de Garanhuns é uma das homenageadas da III Bienal Internacional do Livro

 

“Eu tinha pouca idade / E conheci a leitura / O meu pai um homem simples / Apresentou-me a leitura / Não precisou ser letrado / Nem tampouco diplomado / Pra valorizar a cultura”. É assim que Edilene Soares define o começo de sua trajetória com a literatura de cordel. Aos sete anos de idade, a homenageada da Bienal Internacional do Livro se apaixonou pela poesia que seu pai comprava na feira. A única exigência de Seu Elizeu, após comprar o cordel na feira, foi que sua filha recitasse os pequenos textos para a comunidade em que moravam, em Angelim, cidade a cerca de 30 km de Garanhuns.

 

Edilene nasceu em 1976 e aos nove anos ensinava catecismo na igreja em que frequentava, onde despertou mais uma de suas paixões da vida: ser professora. “A igreja e a comunidade foram meus primeiros palcos”, conta a professora que aos 14 anos de idade, já morando em Garanhuns, convenceu a diretora de uma escola no bairro em que morava a ser a ajudante da professora em uma sala de aula. “Eu tinha o sonho de ser professora e desde aquela época eu já utilizava a poesia para o trabalho”, conta.

 

Assim, na sua juventude, se formou no magistério e fez Licenciatura em Geografia na Universidade de Pernambuco (UPE). Se encantou pela Educação Especial e fez o curso de Atendimento Educacional Especializado, na Universidade Federal do Ceará (UFC). Edilene lecionou em escolas públicas e privadas e na UPE. 

 

“A literatura é extremamente relevante na sociedade atual. A tecnologia está aí, em todos os lugares. A gente precisa cada vez mais incentivar o toque no papel, o “sentir” do livro. É importante propagar essa cultura de ler para o outro, principalmente a literatura de cordel, que é do povo para o povo”, Edilene faz questão de incentivar a leitura do livro físico. Atualmente, ela é membro da União Brasileira dos Escritores.

 

Ainda na educação, a contadora de histórias foi supervisora de ensino, sendo gestora da Escola Municipal Artur Maia. Em Palmeirina (PE), ela foi Diretora de Cultura e posteriormente secretária de Ação Social. Hoje, Edilene coordena a biblioteca Indústria do Conhecimento (IDC), que é uma iniciativa do Serviço Social da Indústria (SESI), em parceria com o Governo Municipal de Garanhuns, através da Secretaria de Educação (Seduc). 

 

A terceira edição da Bienal Internacional do Livro do Agreste será realizada dos dias 17 a 21 de maio e Edilene será uma das homenageadas, junto ao saudoso jornalista garanhuense Ronildo Maia Leite. “Esse convite foi uma surpresa muito grande. Existem muitos escritores bons em Garanhuns e na região, e me senti lisonjeada em ser a escolhida. É um evento de grande porte para o município e fico feliz por essa valorização do que é da terra. Meus colegas da rede de ensino também estão muito felizes por mim. Eu me sinto com uma responsabilidade muito grande porque estou representando todos eles na Bienal”, compartilhou a professora. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Garanhuns, por meio da Secretaria de Educação.

 

Com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal de Garanhun

Notícias Recomendadas

Faça um comentário

Publicidade

Lista de galerias

Publicidade

Mais tocadas

  • 1 Luan Santana

    Acordando o Prédio

  • 2 Wesley Safadão Part. Marília Mendonça

    Ninguém é de ferro

Publicidade

Publicidade